Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mas para que raio quero eu um blog?

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Mas para que raio quero eu um blog?

12
Abr24

O que se passa no 22?

Carla

 

Desde segunda feira que andamos a substituir, todas as artérias e veias desta velha carcaça de 1958. Assim lhes chamou o Nuno, quando explicou à velhota do 5° andar, o porquê de ela não ter àgua na cozinha. " imagine o nosso corpo, em todas as artérias e veias, ao longo dos anos vão entupindo, e o sangue circula, mas circula com mais dificuldade". Basicamente foi isto que aconteceu, os canos são velhos, ainda em ferro, a água foi corroendo, o calcário foi-se depositando, e a àgua deixou de chegar ao apartamento. A única solução possivel uma intervenção cirúrgica de urgência. 

Segunda feira chegaram os técnicos e toda a equipa responsável, vieram munidos do material para intervir de forma rápida na solução do caso. 

Mas o estado clínico do prédio era mais grave. Ao partir a parede, verificamos que a outra artéria, a do esgoto, estava já com fissuras e corria o risco de daqui a uns anos partir. 

Uma vez que tinhamos de abrir decidimos abrir tudo do 5° ao -2 e substituir a conduta da àgua e do esgoto, assim durante uns anos não teremos mais que nos chatear com isso. 

Lá andaram eles de segunda a quarta a partir e a tirar canos, uma poeira desgraçada um cheiro nauseabundo que se entranhou narinas acima.

Ontem foi dia de começar a passar as artérias novas e hoje por volta das 14h a àgua já pode voltar a circular e chegará com a pressão suficiente ao 5° andar. Segunda feira uma nova equipa, a de pedreiros e  ladrilhadores vem fechar e terminar o trabalho.

É isto. Esta vida de concierge é uma inquietação! 

 

 

 

 

18
Dez23

Ao cuidado dos jovens que esta noite, fizeram da entrada do meu prédio,uma sala de chuto

Carla

Eu sei que esta vida é tramada. Que muitas vezes não é nada gentil conosco. É madrasta. Que uns têm sorte com as companhias outros nem tanto. Que a vida é injusta e nos fode todos os dias. Também sei que cair num vício, primeiro é por curiosidade, depois já não conseguimos sair dele e por fim já só esperamos que aquela dose nos leve. Que todos nós somos viciados em alguma merda, que nos mata diariamente e devagarinho...Também eu me digo várias vezes, "este é o meu último cigarro", e nunca é.

Todos os argumentos são válidos para justificar um vício, por isso nunca vos julguei. Muito pelo contrário, sempre vos tratei com respeito e a cordialidade que todo o ser humano merece. Não me chateio muito por volta e meia, utilizarem a entrada para regressar a outro mundo, até porque vocês que aqui pernoitam são sempre os mesmos, já conversámos enquanto bebemos café sentados no chão, onde escutei as vossas histórias de vida algumas arrepiantes.

Mas porra pá! Temos um acordo. Eu deixo-vos viajar tranquilos aqui na entrada e vocês deixam tudo limpo. Não é deixarem a entrada como encontrei hoje de manhã, cheia de postas de sangue e os utensílios abandonados. De certeza que a quantidade de pó que varri do chão hoje de manhã, fez falta na dose. Agora, quero ver é como vou tirar a mancha de sangue do tapete.

Meus amigos! Se é para ser assim, esta rebaldaria e falhas ao acordo pré-estabelecido, da próxima vez que haja ajuntamento, que tenham o azar de vos ouvir, levam com um balde de àgua em cima e que se lixe lá a dose, o pó, a seringa e todo o resto!

Logo a seguir vem a polícia.

 

 

09
Dez23

Maria Joana ...

Carla

Pior que o meu vizinho de cima que houve metal pesado todos os dias enquanto prepara o almoço ou jantar, foi o vizinho que mora ao lado, arranjar um sistema qualquer de karaoke, juntar a família toda e estarem à não sei quanto tempo em tom afilitivo a gritar "Maria Joana, Maria Joana...!" 

Irra! Eu até curto a música, mas estou seriamente a pensar ir lá acima, e mandá-los "apanhar o primeiro autocarro"!

24
Nov23

A minha sorte é não ser supersticiosa...

Carla

... caso contrário diria que tenho de levar o prédio á bruxa, ou a bruxa ao prédio. 

Na quarta-feira abri uma torneira da zona onde estendemos a roupa no inverno, para lavar aquilo à mangueirada, quando terminei e fui fechar a àgua, fiquei com a cabeça da torneira na mão. Era àgua a correr e a esguichar que nunca mais acabava. Ainda esteve assim perto de 1h, a torneira de segurança de nunca ser usada, tinha tanta ferrugem que nem mexia, tive de chamar o canalizador de s.o.s para resolver aquilo

Ontem, no apartamento do 2° andar o exaustor na cozinha pegou fogo, coitado do miúdo não ganhou para o susto. Felizmente não lhe aconteceu nada, e no meio do pânico ainda teve discernimento para ir buscar o extintor do patamar, controlar as chamas e chamar os bombeiros.

O que me deixou preocupada foi o nível de lerdeza das pessoas que moram nesse andar, sentiram o cheiro a queimado, sairam para o patamar, viram as labaredas e o puto em pânico para controlar aquilo, e em vez de telefonarem aos bombeiros e ajudar, não, telefonam-me a mim.

Eu não sou supersticiosa, mas... Cruzes! Batam na madeira 3 vezes a ver se a má onda fica por aqui!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub