Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mas para que raio quero eu um blog?

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Mas para que raio quero eu um blog?

19
Mar24

Hoje é dia do pai

Carla

Ninguém nasce pai...

Quis a vida, que tivesses um pai que não quis ser pai e te tenha deixado à mercê da própria sorte com 2 anos, depois da tua mãe falecer. Tiveste o fortúnio de ter 1 irmã  que te amparou e criou. Mas o menino tranquilo, pacato e sorridente que cresceu na Praia da Victória, voltou um homem muito diferente de Ultramar. A ilha, o silêncio da ilha incomodou-te. Depressa regressaste ao continente. Assim como ninguém te ensinou a ser pai, também ninguém te preparou para a guerra. E ninguém te curou do mal. Os pesadelos assombravam-te as noites e encontraste no álcool a solução, para calar os gritos que te ecooavam na cabeça. Nunca falaste do terror que viveste em Angola, assim como nunca falaste da dor de perder um filho. Fechaste-te em silêncio para fazer o luto, mas quando de lá saiste, saíste um pai completamente diferente. Talvez a dor te tenha transformado. Nunca mais bebeste. Voltaste a nós.

O pouco tempo que tinhas passou a ser vivido connosco. Presente. Pai. Amigo.  Aprendeste a falar de sentimentos e demonstrá-los. E voltaste a sorrir.

Ninguém nasce pai, torna-se pai.

Pai... o meu amor maior. Que nos bons e maus momentos estamos lado a lado, mesmo com uma distância física de 2000 km.

Hoje queria dar-te um abraço daqueles bem fortes, ficamos pela video-chamada, mas já falta pouco.

Obrigada pai por seres como és.

Eu não seria a filha, mãe e mulher que sou se tu não fosses o pai que és.

 

 

 

 

 

17
Mar24

A família

Carla

Esta que me calhou e a que com o tempo se tornou. Afeiçoada e muito barulhenta. Bem capaz de despertar com gargalhadas todos o vulcões adormecidos à séculos. Um exagero naquilo que toca ao gostar de viver. Entre um copo de tinto e uma tábua de enchidos e queijos na mesa, permitimos-nos à partilha das nossas vidas sem reservas nem vergonha. Nunca sei se bebemos e comemos mais do que falamos, mas sei que somos perfeitos na arte que é saber rir e de saborear a vida. Encontramos-nos sempre que pudemos e quando não pudemos, damos um jeito. Despedimos-nos com abraços apertados enquanto falamos do próximo encontro, que nunca tem data certa, porque sabemos que estamos sempre para todos os encontros que forem precisos.

Da próxima vez tragam o mesmo vinho tinto e aquele enchido com trufas.

21
Fev24

À caloteira com amor e carinho: deixa de ser sonsa e paga a tua dívida.

Carla

 

30 de Setembro de 2023.

Puxem de uma cadeira, sentem-se à minha beira que eu conto-vos tudo.

O dia estava ensolarado, bastante quente para aqueles dias de princípio de Outono. Tomei duche, estiquei o cabelo, uma maquilhagem suave no rosto e vesti-me segundo o dress-code do convite, branco.  A festa começava às três da tarde e prometia alongar-se noite dentro. Cheguei ao recinto e já algumas pessoas se encontravam no local, as caras eram-me todas familiares. Algumas amizades mais chegadas, outras nem tanto. A familia já estava toda reunida e aos poucos a sala foi enchendo. O grupo musical animava já no local e as entradas começaram a ser servidas. Entre uns acepipes e umas taças de champanhe, as conversas desenrolavam-se animadas e as gargalhadas foram ficando mais soltas. Segui-se uma pausa dançante e para tirar fotografias. Entretanto, era hora de sentar à mesa para começarem a servir o jantar. Do leitão só como a costela e a pele tem de estar bem estaladiça. E estava no ponto. Terminado o jantar, passámos à panóplia de sobremesas, sempre tudo bem regado com champanhe, vinho tinto, branco, verde, sumos e àgua. Antes da aniversariante, a minha irmã que fazia 50 anos, cortar o bolo, houve um jogo.

12 pessoas, 11 cadeiras. À medida que a música tocava íamos dançando à roda das cadeiras, era-nos dada uma ordem, assim que a música parasse tinhamos de encontrar o objecto pretendido, regressar á cadeira e sentar. Fui rápida a arranjar uma meia, um brinco e até um soutien, mas falhei o anel. Um anel coisa que toda a gente tem, e eu fui eliminada. Peguei na cadeira e abandonei o jogo. Neste dia por ser a mais lenta, desgracei a minha vida ao contrair uma dívida.  A minha sentença foi, convidar a minha irmã para uma noite de crepes em Fevereiro, no dia do "la Chandeleur". Se não o fizesse ficaria em dívida para com ela. Crepes... eu que gosto de os comer, mas detesto fazer! 

La Chandeleur 

Segundo uma tradição belga e francesa o dia 2 de Fevereiro é dia de comer crepes. Mas não se comem só crepes, há o saber virar o crepe. Este deve ser virado com a mão direita enquanto a mão esquerda segura uma moeda. Se ao virar o crepe este cair direito na frigideira, o ano será próspero. 

Dia 2 de  Fevereiro foi uma sexta-feira. Nesse dia não virámos crepes e a minha dívida mantinha-se. O mês foi passando e já a minha irmã duvidáva que iria pagá-la. Eu fazia contas aos dias, via o mês chegar ao fim e a dívida continuava por soldar. 

Domingo 18 de Fevereiro de 2024

A familia (era só para a minha irmã, mas o resto da malta colou-se) reuniu-se finalmente á volta da mesa para uma tarde de crepes. A futura nora que é belga, mais habituada a estas coisas, disponibilizou-se (cravei-a, ok...) para meter as mãos na massa e fazer crepes para 16 pessoas. Doces e salgados, com gluten e sem gluten, barrados com nutela, doce de morango ou só com açucar e canela, morangos, framboesas, mirtilos e manga, fiambre e queijo...e a tarde passou-se.

FB_IMG_1708527049216.jpg

Não virámos os crepes com a moeda na mão, logo não sei se o ano será próspero ou não, mas a minha dívida foi paga, agora já posso pousar a cabeça no travesseiro e dormir tranquila. 

 

 

19
Fev24

Há 25 anos atrás era eu uma mocinha de 27 anos...

Carla

... quando pelas seis horas e tinta minutos do dia dezanove de Fevereiro me tornei mãe. 

Contrariando todas as previsões da agulha e adivinhações pelo formato da barriga, que diziam ser uma menina, porque ele nunca se quis mostrar e guardou o segredo fechado a sete chaves. Para o pai era igual, eu tinha a certeza que era rapaz e só tinha nome para menino, Miguel.  Nasceu um ratinho com 35 semanas que mal se ouvia quando chorava, com 47cm e 2,800g. Só se lhe viam os pés e os dedos finos e compridos das mãos. Careca e com o nariz como o pai mas com os olhos da mãe.

O Miguel é o meu maior cúmplice, o melhor companheiro nesta aventura, o meu grande parceiro desta viagem,  o meu filho que me dá o braço na rua e me pede colo e abraços apertados. Que me peça sempre. Para o resto da vida.

Que me dê o braço até me finarem os dias e que percorra comigo todos os caminhos até me faltarem as forças nas pernas, a saúde e a vista.

Nunca haverá palavras para lhe dizer o quanto o amo, só lhe posso agradecer por me ter escolhido para ser sua mãe.

IMG_20240219_093154_580.jpg

Parabéns meu filho. Nunca deixes de sorrir e aproveitar a vida da melhor maneira.

12
Nov23

Todos os pretextos são válidos...

Carla

A afilhada, agora desterrada por terras distantes a fazer Eramus, com o pretexto de comemorar mais um aniversário de namoro, veio passar uns dias ao Luxemburgo.

O meu mais novo, sem lugar no pequeno apartamento para pôr uma máquina de lavar roupa, tem sempre um bom pretexto para volta e meia vir a casa.

O namorado da minha afilhada, concluiu o curso e já arranjou trabalho, ora um excelente pretexto para festejar. 

O namorado da sobrinha mais velha, regressou do Curdistão,  onde esteve uns meses em formação, muito bom pretexto para ouvir sobre a viagem, e os momentos engraçados que por lá viveu.

Ainda que não precise de pretextos para reunir a família e os bons amigos, Sábado tinha um bom pretexto para uma tarde animada, com boa comida, boa bebida e muita conversa. Como gosto de manter tradições, o dia de S. Martinho foi pretexto para um magusto.

Tuga que se preze, usa sempre o pretexto do "o que é nacional é que é bom", e lá vim eu carregada do supermercado com 4 quilos de castanhas portuguesas, grandes e bonitas a um preço exorbitante, em vez de trazer castanha luxemburguesa, mais baratinha, mas pequenina e não tão vistosa.

As castanhinhas, algumas recheadas de proteína animal, outras com bolor de já terem sido congeladas, ou completamente negras, seriam um bom pretexto para regressar ao supermercado e reclamar, é que de 4 quilos de castanhas, comeram-se nem 2 quilos, mas deitei o ticket fora, logo fiquei sem pretextos.

Ficámos desconsolados. Mas a jeropiga, era de muito boa qualidade, pretexto usado para beber quase um garrafão de 3 litros.

 

Desejo-vos um bom domingo, cheio de coisas quentes e boas ...

30
Out23

A minha memória vai até um lugar...

Carla

 

Quando éramos miúdos sabiamos bem que o jantar hoje seria bacalhau à brás e no fim bolo de chocolate coberto de calda de chocolate. Esperariamos pelo pai até às 20h para começar a jantar. A mãe sentar-se-ia ao teu lado, o pai à cabeça da mesa, eu e a Sandra à tua frente e da mãe. Depois era certo que iriamos aldrabar a letra dos parabéns a você, para que o bolo fosse partido mais rápido, a mãe iria ralhar, o pai rir e olhar de lado.

Quarenta e sete... talvez hoje bebessemos um copo e guardassemos as comemorações para o fim-de-semana.

 Quis a vida, ou o livre arbítrio, que estivesses naquele local aquela hora, talvez 21 anos tenha sido pouco tempo, mas...

Quem vive? Vive aquele que decide viver, não o que nasce. Vive quem é livre não o que é comandado. Vive quem se embebeda com a vida e do sorriso dos outros. Vive quem  percebe que daqui não leva nada, a não ser os momentos que viveu, o amor que deu e recebeu.

Tu mano, tu viveste pra caraças! 

Acredito que hoje vás apanhar umas ondas, espero que o mar não esteja flat, no sítio onde estás.

FB_IMG_1698655057068.jpg

Feliz aniversário Pê ! Até um dia, num lugar mesmo a teu lado. ❤️

29
Set23

Um brinde especial aos 50!

Carla

Esta miúda gira, de sorriso doce, palavras meigas, é uma miúda incrível. Quis o destino, o universo, ou o acaso,  que ela fosse minha irmã. E eu sou uma gaja cheia de sorte, porque esta miúda gira, é um dos seres mais bonitos da minha vida.

IMG_20230709_121432_953.jpg

Esta miuda gira, hoje faz 50 anos!

Que venham outros tantos, que ainda temos muito para fazer e celebrar!

19
Set23

Pergunta feita ... resposta dada!

Carla

Hoje de manhã recebi uma mensagem da minha irmã que dizia o seguinte: "vou fazer uma pergunta às pessoas mais importantes da minha vida, por isso tens de ser sincera. Como posso ser uma melhor irmã para ti?"

Depois de ler a mensagem, e por ainda ser tão cedo, achei que a miúda tinha batido com a cabeça na mesa de cabeceira ao acordar e algum parafuso tinha ficado solto, mas respondi-lhe com a sinceridade que me era pedida. Que não precisa ser uma melhor irmã para mim, é minha irmã. Ponto. E é a melhor pessoa que a vida me podia ter dado.

Depois de lhe enviar a resposta, envia-me nova mensagem a explicar, que era um desafio de um grupo qualquer que faz parte no facebook.

Resolvi copiar e colar a mensagem, trocando o irmã por mãe e enviar aos miúdos. A mais velha respondeu com uma data de ahahaha's em letra maiúscula e remata "andas a beber logo de manhã?" A resposta do mais novo demorou em chegar ... e quando chegou, dizia: "não enviar mensagens durante as aulas, seria um bom começo!"

No fundo... no fundo, eles adoram-me!

 

 

 

26
Ago23

Não é ... mas um dia pode ser...

Carla

... um blog de receitas de comida saudável, porque não? Aiii ... se eu tivesse jeito pra coisa! Mas não tenho grande habilidade, só a de seguir receitas e olhem lá... mas como eu estava a dizer ... antes de me perder nos pensamentos, amanhã é o último domingo do mês e é tradição, desde que casou e mudou-se para longe, dia da maisvelha vir almoçar comigo e trazer os meninos. O marido tem jogo de bola, vem mais tarde. E à pouco durante a conversa disse-me que tinha saudades da torta de cenoura.... esta miúda só me dá trabalho... ainda me fez ir às laranjas e às cenouras, eu que já tinha tudo adiantado para o almoço! Mas como não quero que a rapariga vá daqui desconsolada, a torta tá feita, espero que nos faça bom proveito.  E deixo-vos a receita, espero que vos faça bom proveito também!

FB_IMG_1693071004629.jpg

Torta de Cenoura e Laranja

Ingredientes:

600gr de cenoura (pesada crua)

1 c.sopa de stevia (ou outro adoçante)

4 ovos

4 c.sopa de farinha de aveia

Raspa e sumo de 1 laranja

1 c.chá de fermento em pó

1 c.chá de canela 

Preparo:

Cozer as cenouras e deixar arrefecer. Pré-aquecer o forno. Num liquidificador, colocar as cenouras, os ovos, o adoçante, o sumo e a raspa da laranja, triturar tudo. Numa taça, misturar a farinha, fermento e a canela. Envolver o preparado líquido e bater muito bem. Deite o preparado numa forma rectangular, forrada com papel vegetal. Cozer durante 25 minutos ( verificar a cozedura com um palito) Inverta a torta num pano e vá enrolando e descolando o papel vegetal.

 

A receita não é minha, só não vos posso dizer de onde a tirei porque não me recordo. É daquelas coisas, fez-se uma vez, gostou-se e manteve-se até ao dia de hoje.

 

 

23
Ago23

Há meninas que não foram feitas para passear em centros comerciais.

Carla

A mana faz 50 anos no final de Setembro e como sabia que hoje, só entro ao serviço às 18h, convidou-me para ir tomar o pequeno almoço com ela e acompanha-la na escolha de um vestido para a acasião.  Fomos a um centro comercial em Bertrange, porque ela queria ir a uma loja, onde só entrei uma vez em tantos anos no Burgo. Não porque a loja não tenha coisas giras, tem, não são é para a minha carteira. E como não sou fã de passear em centros comerciais, não me perco por lá.

Basicamente essa loja é um enorme centro comercial, dentro de outro centro comercial. Tem uma entrada enorme, toda a loja é envidraçada, uns vidros dão para o interior do outro centro comercial, outros para a rua. Os expositores de roupa, de várias marcas e estilistas seguem-se uns aos outros e tu andas numa passadeira vermelha. Durante o "passeio" podes ir comendo uns "amuse-bouche" ou bebendo umas coisitas que te vão oferecendo.

E lá andava eu entretida nesta dura tarefa, que é escolher um modelito para uma ocasião especial, quando dou pela falta da minha irmã. Volto para trás e não a vejo, sigo para a frente, nada. Nem a esquerda, nem à direita. Ela telefona-me a perguntar onde estava, a pergunta era de resposta fácil se eu soubesse onde estava. Pego num vestido do expositor, simplesmente para ver a marca e lhe dar as coordenadas da minha posição. Abre parêntesis, quem é que compra um vestido tipo camisa de noite, na módica quantia de 250€???? Fecha parêntesis. A mana manda-me virar para a direita para ir ter com ela. Sigo o caminho, quando a vejo sentada, já fora desta loja, mas ainda dentro do centro comercial. Sigo as janelas, sem nunca a perder de vista, mas também sem encontrar a porta para sair. Volto para trás, e de frente para ela, bato no vidro para que me veja e ligo-lhe, já possuída e cansada de tanto andar, para lhe perguntar como é que saía dali de dentro e a burra desata a rir às gargalhadas e responde-me "por onde entraste" ... "olha, se fosses mazé à merda! " 

Como não queria que ninguém percebesse que a tótó andava perdida, prestes a começar a hiperventilar e a um passo de entrar em pânico, continuei a desfilar graciosamente na passadeira vermelha, a admirar as colecções, até que a abestalhada da minha irmã, decidiu entrar na loja e resgatar-me de uma cena que não estava a ter piada nenhuma... pelo menos para mim, porque ela não parou de rir. E no fim sou informada que compra depois na net ...

Mas ... A fashion-blogger que há em mim, informa que este inverno os tons pêssego, vermelho escuro, laranja, roxo e o verde alface, vão usar-se bastante. Espero ter contribuido a vocês, que por aqui passam diariamente e ainda  àqueles que aqui caem de paraquedas por engano, para que andem na moda!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub