Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mas para que raio quero eu um blog?

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Um blog sem pernas para andar, com uma dona sem vontade de escrever.

Mas para que raio quero eu um blog?

12
Jan24

Coisas do dia-a-dia que não matam mas moem!

Carla

O despertador tocar naquela hora exacta em que estás a dormir ferrada e a ter um sonho porreiro. Não mata, mas mói! 

As cápsulas do café virem demasiado cheias e o café sair às mijinhas. E tu com pressa porque só tens 10 minutos, para o beber, vestir o casaco, meter o cachecol, gorro e as luvas, sair de casa, correr para a paragem e apanhar o autocarro para ir trabalhar. Não mata, mas mói!

Pessoas no autocarro a falar alto ao telemóvel ou a enviar e a receber mensagens de voz, quando vais ali meia ensonada, o cérebro em off e nem um murmurinho te apetece ouvir. Não mata, mas mói!

Chegar a casa do patrão e saber que só estiveste fora 6 dias, mas ao olhar para o cesto de roupa para passar a ferro, parece que estiveste fora quase um mês e vais passar as primeiras horas da tua manhã fechada na lavandaria. Não mata, mas mói!

Sair do trabalho 15 minutos mais cedo, porque tens um compromisso 1 hora depois, e o motorista do autocarro ir tão no relax que parece que vai a conduzir um autocarro de velhinhos num tour turístico pela cidade. Não mata, mas mói!

Pessoas estateladas em frente das prateleiras do supermercado e que se metem à tua frente quando vais tirar uma coisa. Não mata, mas mói!

Olhar para a folha de salário e ver a quantidade de euros que deverias receber, mas que são enviados automaticamente para os cofres do estado. Não mata, mas mói!

Ser quase 17 horas, daqui a 30 minutos  tens de estar no trabalho e não encontrar as chaves dos escritórios. Procurar, procurar, começar a desesperar, quase a acreditar que perdeste as chaves, o tempo a passar e começas a ficar fodida porque já reviraste tudo à procura do molho de chaves. Até que as encontras num bolso da carteira, que só usas para guardar pensos higiénicos e tampões. Não mata, mas mói!

Calçar dois pares de meias, porque só com um par os pés andaram o dia todo gelados, as botas apertarem,  o calo do dedo mindinho se queixar e começar a doer e os pés, esses continuaram gelados. Não mata, mas mói!

Quando vais cheia de pressa e os semáforos ficam todos vermelhos para os peões quando te sentem aproximar, parece que se uniram para te tramar e obrigar a chegar atrasada ao trabalho. Não mata, mas mói!

Perceber que sobrou um dinheiro ao fim do mês e esfregas as mãos de contente porque te apetece mimar e comprar qualquer coisa para ti, mas ao tirar a roupa da máquina que puseste a lavar a 95° notas que a roupa está gelada, a máquina está a avariar e tu não consegues viver sem ela. Não mata, mas mói!

Apetecer-te torradas ensopadas de manteiga, que derretida escorre pelos dedos abaixo, e verificares que não tens manteiga suficiente na embalagem. Não mata, mas mói!

 

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub